TRANSLATE/ TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Pesquisar no Blog

quinta-feira, 7 de julho de 2011

COMPORTAMENTO - CASOS E SOLUÇÕES II

   Continuando o post anterior.

   Tenho uma collie de oito anos, ela sempre faz xixi na cama dela, desde que era filhote, ou as vezes faz xixi também na cama do macho. Você, como especialista em comportamento animal, poderia explicar?
   Os motivos podem ser vários, mas se nesse tempo todo vocês não mostraram para ela que isso é errado, fica difícil ela aprender. Talvez ela só esteja marcando território, mas o importante é que ela ainda não entendeu que isso é errado. Uma Collie quer sempre agradar ao dono, é cão de trabalho, então, não pense que é birra dela.

   Ganhei um Sharpei com 6 meses de idade e ele não quer saber de comer a ração no comedouro. Ele só come se a ração for deixada no chão. Outra coisa, ele fica fora de casa (local coberto) e achei que uma caminha seria o suficiente para ele dormir. Mas me dei mal, pois quando coloco a caminha no chão, ele simplesmente brinca com ela de chacoalhar e aparentemente usa para "namorar". Você tem alguma sugestão ?   Ele é castrado ? Se não for, castre enquanto ele ainda é bebê, pois esse comportamento é típico de um filhote dominante. O Sharpei já é dominante por natureza. Enquanto isso, tire a caminha dele. Não tem problema nenhum.
   Quanto a comida, coloque no prato de ração e deixe por 20 minutos. Se ele não comer, apenas tire, sem falar nada, e só devolva na próxima refeição. O cachorro é um animal de caça, com organismo preparado para ficar até uma semana sem comer. Dificilmente ele vai passar o segundo dia sem comida, mas tem que ser consciente, não adianta jogar "um pouquinho só" no chão. Ele tem que ficar com fome mesmo.

Estamos um pouco preocupados com nosso cão, uma boxer fêmea que vai completar 01 ano. Não estamos entendendo por que ela está brigando com a vasilha de comida e ficando tão agitada e latindo muito, nós só mudamos a ração dela misturando a júnior/filhote com a de adulto.
   Ela está na adolescência, revendo seus limites e testando os donos. Provavelmente ela fez isso uma vez e conseguiu atenção exagerada prá ela. Pode ter sido engraçado e vocês riram, podem ter dado uma bronca exagerada (ela gosta da bronca mais do que da indiferença), ou qualquer postura corportal que vocês tenham passado para ela no momento. Você tem aquelas vasilhas pesadas? Com a minha Boxer funcionou, troquei por uma vasilha de alumínio com cimento, bem pesada, e ela parou.
   Quanto a agitação, será que vocês estão fazendo exercício suficiente com ela? Ela tem que passear, brincar, correr. Nessa fase o Boxer dá uma crescida, uma encorpada, e precisa fazer muito exercício. Mas para isso ela tem que ser estimulada, não adianta ficar no quintal ou jardim da casa.

   Tenho uma Fox Paulistinha de 2 meses. Ela morde tudo (brincando), nossas mãos, pés, pernas, braços, qualquer coisa que encoste nela e como seus dentinhos são muito pontudos vivo arranhada e machucada. O que eu faço para ela parar de morder? Se brigo, ela nem escuta e se dou um tapinha no focinho ela acha que é mais brincadeira e morde mais.   Essa idade ela ainda está com os dentes de leite, que realmente coçam. Mas se vocês permitirem esse comportamento ela vai achar que morder é certo.
   Para ela, morder é gostoso, afinal, a mão se mexe, às vezes grita, funciona como uma "presa". Vamos fazer com que morder não seja mais tão gostoso. Quando ela morder sua mão, empurre a língua dela - como o pediatra fazia com a gente - até ela sentir uma ânsia. Junto com isso você diz "NÃO MORDE". Quando ela empurrar sua mão (ou dedo) você tira a mão e pode até oferecer um petisco ou brinquedo.
   Se isso não der certo, cada vez que ela morder você pára de brincar e a deixa. Levante, saia do local, faça qualquer coisa, mas ignore-a. Isso vai exigir repetições, mas depois de algum tempo dá certo.

Gostaria de saber qual a causa da agitação dos cães durante a tosa e o que posso fazer para acalmá-los, tenho tido bastante trabalho para conseguir tosar as patas e os genitais.   Se você conseguir deixar alguém dando um petisco para eles aos poucos, como um 'bifinho', enquanto você tosa, pode ser que dê certo. Mas essa reação é a mais normal, os cães não gostam da tosa no geral.
   
   Os cães que passam pelo processo de inseminação artificial, sofrem algum tipo de efeito colateral psicológico, por não terem acasalado para a procriação. Será que eles tratam os filhotes da mesma maneira?
   Nunca ouvi falar de cadelas rejeitarem seus filhotes por terem sido cria de inseminação artificial. Inclusive algumas raças só conseguem procriar assim, como o Bulldogue Inglês, que pelo tamanho e peso não consegue acasalar da maneira convencional. O que pode levar uma cadela a rejeitar a cria é a imaturidade dela ou os bebês nascerem com alguma doença. Nesse caso ela rejeita o mais fraco para tentar cuidar dos mais fortes.


Fonte: Orientações de Sheila Niski. Site web animal.

Postado por Kely V.S.S.

2 comentários:

  1. Fê...vc é um amor mesmo...obrigada!!! Eu tb gostei deste texto, ajuda bastante.

    ResponderExcluir

Deixe aqui, críticas, sugestões e elogios, sua opinião é muito importante!!

COMENTE!!!!!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.